Festa de Dia das Mães na escola, LEGAL! #SQN

No dia 09 de maio de 2017 o jornal Estadão publicou uma matéria intitulada “Acabem com o tormento das festas de dia das mães nas escolas” é um depoimento muito feliz e uma critica bem construtiva a respeito de como as escolas hoje (não a citada no texto, é claro) precisam se adequar aos novos rumos que a sociedade está tomando respeitando aquele que é minoria e que muitas vezes ficam a mercê de uma maioria que ainda vivem na bolha. Vejam a matéria completa neste link: http://emais.estadao.com.br/blogs/ser-mae/acabem-com-o-tormento-das-festas-de-dia-das-maes-da-escola/.

Por favor, leiam! O sofrimento causado por essa data é complicado inclusive para aquele que não enxerga em sua mãe àquela criatura angelical e bondosa construída pela sociedade. Sim! Essas pessoas existem, e existem também aquelas mulheres que gestaram um bebê, mas não possuem o famoso “instinto maternal” ou não conseguem amar incondicionalmente seus filhos assim que saem de sua placenta e veja bem, isso é mais comum do que se imagina. Como já citado no post sobre idealização, o bebê imaginado e tão sonhado durante os nove meses pode não ser aquele que nasceu e isso precisa ser levado em considerado. Uma gestante me contou que ela era criticada pela sogra simplesmente por dizer “não consigo amar aquilo que não vejo”, fique claro aqui que ela estava curtindo a gestação e amando sua barriga enorme, mas ela simplesmente não conseguia usar a palavra “incondicional” para nomear seus sentimentos naquele momento.

Outro assunto que gostaria de refletir com vocês e o qual me veio a mente após a leitura do link acima (mais uma vez peço encarecidamente, LEIAM!), é a respeito das propagandas que dizem “SUA MÃE MERECE ESSE PRESENTE”. Gente, só um minuto… Espera ai… Oi… Mais uma vez parem o mundo que eu quero descer! Como assim “sua mãe merece”, vamos pensar na “bolha” citada na matéria do Jornal Estadão, até mesmo as famílias cujo núcleo é o mais comum – papai, mamãe e filhinho (e vivem ou não na bolha), sofrem com essa cobrança desenfreada alimentada por um sistema econômico que nos escraviza a viver um momento que talvez não exista. Pense bem e responda, sua mãe merece SÓ um perfume? SÓ uma calça de determinada marca?  SÓ uma caixa de bombons? Claro que não! Mas, porém, entretanto e todavia, somos manipulados e levados a consumir. Pasme-se com o que vou dizer, mas o Dia das Mães comemorado em todo segundo domingo do mês de maio é considerado um “SEGUNDO NATAL” para os lojistas. Não só no Natal, mas também em maio, muitos vendedores precisam mudar suas rotinas e se adaptar a um ritmo de vendas maior, isso é ou não é uma loucura, ao menos um sinal de “mal estar na civilização” diria Freud, com certeza.

Peço a vocês que reflitam sobre suas vidas e se perguntem: Em que posição estou? Sinto-me na obrigação de reconhecer a importância da minha mãe/ou espero reconhecimento de meus filhos somente neste dia/ou ao menos nesse dia? Talvez seja necessário um pouco de coragem para responder esta questão e muito mais para mudar esse comportamento, mas ao menos a sementinha já foi plantada. Não se condene por responder SIM, e nem mude caso se sinta confortável, mas o Dia das Mães, dos Pais, dos Filhos, da Mulher ou do Homem, enfim, pode ser comemorado todos os dias, não é mesmo? Converse com as pessoas ao seu lado, procure um psicólogo para conversar sobre o que você sentiu ao pensar sobre isso e lembre-se sempre “parar um pouco e identificar minhas emoções é o melhor caminho para se conhecer” e a psicologia pode ajudar nisso.

Para encerrar uma curiosidade:

Abraços

Fonte:

http://emais.estadao.com.br/blogs/ser-mae/acabem-com-o-tormento-das-festas-de-dia-das-maes-da-escola/

http://brasilescola.uol.com.br/datas-comemorativas/dia-das-maes.htm


Juliana Ferreira
Psicóloga - CRP 06/130793 em Consultório Psiquê?

Curiosidade e superação são seu lema. Optou pela psicologia na segunda fase de sua vida, quando questões complexas do tipo “Quem sou eu?” começaram a martelar em sua cabeça. Amante da psicologia analítica (junguiana), encontrou nela a interpretação da psiquê (mente e alma) através dos símbolos e das mitologias. Observar os sonhos, os desenhos e toda a arte produzida pelo ser humano é o seu hobby atual.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *